O DIA – Os nerds que planejam o Rio

11May

O DIA – Os nerds que planejam o Rio

Grupo Pensa foi criado para fazer projetos que melhoram a rotina de quem mora na cidade

ANGÉLICA FERNANDES

Rio – O nome do grupo já entrega aquilo que mais eles sabem fazer: pensar. Apelidados de Os Nerds da prefeitura, o Grupo Pensa, formado há um ano, trabalha na criação de ideias para melhorar a cidade. Com um computador nas mãos e milhares de dados, eles estão lá para desenvolver qualquer projeto, desde o mapeamento de pontos com alagamento e estacionamento irregular até ações de combate à dengue.
Os seis integrantes já apresentaram mais de 15 ideias em diferentes segmentos. A primeira delas, que está em prática, é o mapeamento das árvores da cidade. Através de um cruzamento de dados que envolve demandas do 1746 (portal da Prefeitura), com reclamações dos cidadãos sobre as quedas, e ocorrências de vento e chuva, o grupo chegou à conclusão de que as árvores suportam apenas ventos de 40 quilômetros por hora. “Temos um sistema de alerta que é acionado quando o vento ultrapassa esta velocidade. E por ali, a Comlurb já fica atenta e pode chegar até antes do acidente”, explica o coordenador Pablo Cerdeira.

odia01
Com milhares de dados disponíveis, eles desenvolvem projetos como o mapeamento de pontos com alagamento e de estacionamentos irregulares

Pelas mentes brilhantes do Pensa passam apenas ideias que devem ser executadas a médio e longo prazo. “A prefeitura era completamente engolida pela burocracia e não havia tempo para desenvolver bons projetos. O Pensa chega para revolucionar isso”, avalia o secretário da Casa Civil, Guilherme Schleder, responsável pelos seis integrantes.

Nos planos futuros do grupo, o grande desafio é repensar a estrutura de deslocamento da cidade. Para chegar a um bom resultado, até projetos de fora do Brasil podem ser utilizados. “Queremos criar uma fórmula que estimule as pessoas a trabalhar onde mora, dando incentivo às empresas”, completa Pablo.

Gosto por esporte e cozinha

Eles são chamados de nerd pela capacidade de interpretar mapas, números e códigos na tela do computador, mas basta uma rápida conversa, para o esteriótipo ser quebrado. O mais velho do grupo, o físico Sérgio Bastos, de 53 anos, é faixa vermelha e preta de jiu-jitsu. A única mulher da turma, a cientista da computação Graziella Caputo, 32, adora esportes e está prestes a tirar a carteira de habilitação de moto.

odia02
Graziella é a única mulher do Pensa e rejeita o estereótipo de nerd

“Somos um tipo de nerd diferente. Fora do trabalho temos uma outra vida”, conta Graziella. O geógrafo Pedro Arias, 27, curte praia e malhação e o engenheiro mecânico Marcelo Granja, gosta de cozinhar e fotografar nas horas vagas. Dos seis integrantes, apenas dois são cariocas. Entre o grupo há cearense, friburguense, paulista e mineiro.

“Não tem aquela história de como vivíamos sem o celular? Na Prefeitura, a pergunta é como vivíamos sem o Pensa?”, brinca o secretário de Conservação Marcus Belchior, responsável pelo Centro de Operações Rio, onde o grupo trabalha.

O Pensa conta com apoio de algumas entidades, como a Fundação Getúlio Vargas e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos. Confira algumas ideias do grupo:

Réveillon 2014

Através do sistema de antenas de celular, o grupo desenvolveu um mapa com os horários e regiões de onde mais saem espectadores para Copacabana. Com o levantamento, a prefeitura reajustou as interdições e intensificou a demanda de transporte.

Alagamento

Com o aplicativo Waze, que transmite em tempo real o trânsito, o 1746 e os pluviômetros, o Pensa detectou os locais exatos onde ocorrem alagamentos. Com dos dados, a prefeitura criou um grupo de emergência que fica a postos no Centro de Operações para combater às cheias.

Pontos de ônibus

O grupo cruzou dados do IBGE, mapas de rua e GPS dos ônibus para apontar os locais onde há deficiência de pontos de ônibus. Campo Grande é um dos bairros onde há maior demanda por novos pontos. O projeto está em análise na Secretaria de Transportes.

Estacionamento

Pelas reclamações do 1746, e autuações da Guarda Municipal, o Pensa mapeou os bairros e os horários onde há maior incidência de estacionamento irregular.

Combate à dengue

No cruzamento de dados das chuvas com os casos de dengue, foi descoberto que Bangu é o local mais vulnerável a doença. Diante disso, a Secretaria de Educação intensificou campanhas educativas nas escolas e o índice foi reduzido.

Artigo publicado em 11.05.2014, em: http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-05-11/os-nerds-que-planejam-o-rio.html

Leave a Reply