Apresentação Imersão 2016

23/11/2016 by pablo.cerdeira@gmail.com

Tive o prazer de, mais uma vez, participar do Imersão, projeto realizado pelo pessoal do Lab.rio, neste dia 09.11.2016. Veja a descrição e a apresentação a seguir.


Segundo eles mesmos:

O Imersão é um projeto que atende a uma demanda de cidadãos e cidadãs cariocas de conhecer melhor o funcionamento e os processos decisórios da gestão municipal. Por meio de um processo seletivo aberto a toda a população, 30 pessoas são selecionadas para passar três dias imersos na Prefeitura. Cada imersão aborda três temas centrais da gestão municipal e outros três temas escolhidos segundo os interesses indicados no momento de inscrição. No período da manhã o grupo debate com as equipes técnicas e gestoras de diversas secretarias e autarquias. Na parte da tarde o projeto propõe que o grupo conheça de perto instalações, equipamentos e obras municipais que ilustram metodologias e processos relativos à cidade.

Posso relatar que foi uma experiência única dialogar com jovens interessados em melhor entender a administração municipal. Jovens participativos, ativistas, de todas as regiões do Rio de Janeiro. Uma das premissas do Imersão é justamente essa: trazer pessoas que representem todas as regiões da cidade e das cidades da região.

Participar do Imersão, neste confuso ano de 2016, foi um presente especial. Um ano conturbado, não apenas no Brasil, mas no mundo todo. Poder conversar com jovens entusiasmados, interessados não apenas em entender como funciona um governo, mas em participar, foi uma oportunidade especial.

Este ano tratamos da importância da aproximação entre a Administração Pública e os cidadãos. Iniciamos discutindo a crise de representatividade dos governos e como isso tem afetado as gestões, o que transparece claramente em resultados eleitorais pelo mundo todo.

Destaquei o conflito entre uma visão individualista e a vida em sociedade, em especial em cidades, representada pelo pequeno trecho de um deseho animado dos anos de 1950.

Procurei abordar a utilidade dos dados gerados pela sociedade para a construção de um novo modelo democrático, pautado muito mais pelas interações em tempo real do que nas promessas de campanhas realizada a cada quatro anos.

Apresentei alguns exemplos de administração baseada em dados gerados pela sociedade desenvolvidos aqui no Rio de Janeiro.

Por fim, procurei discutir com os presentes que precisamos pensar não apenas em projetos, mas na forma como governos e sociedade interagem. É preciso que os agentes políticos do futuro, provavelmente muitos deles presentes neste Imersão, pensem não apenas em soluções para os problemas mais superficiais da Cidade, mas o próprio modelo de gestão e de tomada de decisão. Governantes e governados precisam deixar de ser grupos separados. E, acredito, o uso de dados pode contribuir muito para isso.

A seguir os slides de minha apresentação para discussão com os futuros líderes da Política no Rio de Janeiro. Clique no conteúdo para avançar.

Pablo Cerdeira is the Head of the Center of Technology and Society - CTS/FGV and the former Rio de Janeiro's Chief Data Office